dor nas costas

Dor nas costas em paciente jovem: por que acontece e como tratar

A dor nas costas sempre foi tida como uma consequência do envelhecimento. De fato, com o desgaste natural dos ossos, o idoso tem uma tendência a sofrer de inúmeros problemas relacionados à coluna e que não causam apenas dores, mas também prejudicam a movimentação.

Encabeça a lista de doenças que causam o afastamento de profissionais das atividades profissionais as dores nas costas, que podem surgir por várias causas e atingem pessoas de todas as idades, etnias, sexo e classe social. E vem atingindo especialmente o paciente jovem, que tende a ter uma estrutura física mais forte, mas também não fica imune ao problema.

A dor nas costas é um sintoma tão comum, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 80% da população mundial sofrerá com o desconforto em algum momento da vida. Além disso, o que muita gente não sabe é que este problema pode ser causado por diversos fatores, como má postura, sedentarismo, sobrepeso, movimentos repetitivos, dentre outras causas.

Como surgem as dores nas costas?

Nem toda dor na região das costas implica problemas mais graves. Associada a um fator muscular ou a danos a algum órgão, pode ser resultado de trabalhos repetitivos, excesso de atividades físicas, sobrecarga na coluna, obesidade, estresse, má postura e lesões bastante comuns no dia a dia e que comprometem a qualidade de vida.

Mesmo sendo muito comum em toda a população, a dor nas costas é mais recorrente em pessoas acima de 40 anos. Quando surge em jovens, pode representar algum problema específico, como traumas e lesões. Além disso, pode surgir pela sobrecarga de peso nas mochilas e devido à obesidade.

Esse sintoma também pode indicar uma doença reumática crônica pouco comum chamada espondilite anquilosante, que é capaz de limitar os movimentos caso não seja tratada na fase inicial. É mais comum em homens e se caracteriza por uma forte dor lombar que persiste por alguns meses. Os casos crônicos de espondilite podem comprometer o movimento dos membros e causar profunda rigidez no tronco.

Os maus hábitos posturais, que podem se iniciar ainda na fase infantil, são determinantes para futuras dores nas costas. As crianças carregam grande peso nas mochilas escolares, estão muito mais sedentárias e passam horas sentadas em sofás e mesas de computador, sem nenhum cuidado postural.

Quais são os tipos de dor nas costas?

A grande maioria dos casos apresenta uma sobrecarga na região da coluna lombar e cervical, após a permanência por muito tempo em pé ou sentado. A postura determinará a região da coluna que será mais afetada. O posicionamento da região lombar e torácica influenciam na região cervical, que sofre influência da reação dos músculos ao redor e em seus pontos de tensão.

As dores na cervical são muito comuns quando o paciente está em posição de estresse, em quadro de sedentarismo, em movimentos repetitivos nos membros superiores ou se permanece por muitas horas diante do computador, curvando a região dos ombros e pescoço para frente. O mau hábito pode causar doenças degenerativas como hérnia de disco e artrose.

Há também a lombalgia, dor na região lombar, que pode surgir de forma aguda ou crônica. Ela se caracteriza por dores na musculatura e que podem irradiar para os membros inferiores. Dessa maneira, causam formigamentos e dormências. Sem tratamento adequado, assim que surgirem as primeiras dores, o paciente pode adquirir uma dor crônica incapacitante.

Como a dor nas costas atinge os jovens?

A perspectiva da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que 90% da população tem chances de ter dor nas costas no futuro. Os trabalhos de prevenção têm sido tímidos nos últimos anos, especialmente nas crianças. Dessa forma, permanecem com os mesmos hábitos equivocados e arriscados de antes.

Crianças que são sedentárias sentem mais dores e têm mais chances de se lesionar em atividades físicas. Quando se tornam adolescentes e jovens, podem já ter adquirido problemas como escoliose e outros. Portanto, é importante estar devidamente precavido.

O uso de salto alto por adolescentes também é um fator de risco para o surgimento de dores nas costas. Esse tipo de calçado altera o eixo vertical da parte traseira das costas, causando dor.

Poucos aprendem a se aquecer antes de praticar esportes e elevam a possibilidade de lesões e traumas.

O sobrepeso e a obesidade, atualmente, são um problema crescente dentre os jovens. Eles causam inúmeras doenças precoces e também as dores nas costas. O controle alimentar e o foco em comidas mais nutritivas e saudáveis, podem diminuir as chances desse tipo de problema.

Como aliviar a dor nas costas?

O alongamento, a natação e o pilates são atividades físicas que estimulam o fortalecimento muscular e fortalecem a articulação. Além disso, ajudam a manter o peso e são os mais indicados para evitar a dor nas costas em jovens.

Abaixo, listamos 3 iniciativas que podem ajudar a reduzir ou até mesmo eliminar o problema.

1# Tenha atenção com a postura

A má postura pode ter consequências graves para o corpo. Estar sempre em posição incorreta afeta o sistema respiratório, causa dores de cabeça, pescoço, ombro e, principalmente, nas costas. Dessa forma, a boa postura é fundamental para evitar o problema

2# Cuidado com o travesseiro

O pescoço deve ficar acomodado no travesseiro de uma maneira que fique alinhado à coluna. Para quem dorme de lado, o travesseiro deve formar um ângulo de 90 graus entre o pescoço e o ombro. Além disso, os joelhos devem ficar semiflexionados e com um travesseiro entre eles. Essa postura vai favorecer a anatomia fisiológica da coluna vertebral.

3# Escolha a cadeira correta

Se você usa o computador por tempo prolongado, certifique-se de que sua cadeira tem as costas retas. É importante que ela tenha assento ajustável, apoio de braços e seja giratória.

É muito comum que as pessoas procurem tratar a dor nas costas com remédios caseiros e algumas doses de paciência. Porém, é essencial que o indivíduo busque o médico em situações que envolvam uma dor grave ou crônica.

Ou seja, dores muito fortes, persistentes ou que vão e voltam com uma relativa frequência, devem ser investigadas pelo médico. Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre esse assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como médico e quiropata em Guarapuava!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp